18 de jan de 2010

HISTÓRIA DA IMAGEM DE JESUS MISERICORDIOSO


ZD

A casa onde foi pintada a primeira imagem de Jesus Misericordioso.
Ao longe, a igreja que as autoridades soviéticas transformaram em prisão, ativa até 2008.

O padre Sopocko confiou a pintura da imagem de Jesus Misericordioso no início de 1934
ao pintor de Vilnius Eugênio Kazimirowski. A residência do pe. Sopocko e a residência e o ateliê de Kazimirowski localizavam-se no mesmo prédio. Durante a pintura da imagem, ao menos duas vezes por semana a irmã Faustina ia ao ateliê a fim de fornecer orientações e sugerir detalhes relacionados com a aparência da imagem. O padre Sopocko cuidou pessoalmente que a imagem fosse pintada exatamente de acordo com as orientações da religiosa. A tela em que havia ordenado a pintura da imagem de Jesus Misericordioso foi por ele adaptada às dimensões
de uma velha moldura que anteriormente lhe havia sido presenteada por uma paroquiana.
A pintura se estendeu por cerca de seis meses, e quando o quadro já estava pintado e pronto
para ser exposto
(Veja Recordações - pe. Miguel Sopocko), o pe. Sopocko, querendo ainda certificar-se quanto à legenda que nele devia figurar, pediu a irmã Faustina que se informasse a esse respeito com Jesus Cristo:

”Em determinado momento, o confessor perguntou-me como deveria ser colocada
essa inscrição, visto que tudo isso não cabia nessa Imagem. Respondi que rezaria
e responderia na semana seguinte. Quando saí do confessionário e estava passando diante do Santíssimo Sacramento, recebi a compreensão interior de como devia ser
essa inscrição. Jesus me lembrou o que tinha dito na primeira vez, isto é, as palavras que devem ser salientadas: Jesus, eu confio em Vós” (Diário, 327).

”Pinta uma imagem de acordo com o modelo que estás vendo,
com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (Diário, 47).

”Ofereço aos homens um vaso,
com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia.
Esse vaso é a Imagem com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (Diário, 327).

A inscrição ditada, que constitui um elemento essencial da integridade do culto transmitido,
foi elaborada pelo pe. Sopocko numa placa adicional e por ele localizada na parte inferior
da imagem. A seguir, atendendo a uma explícita exigência de Jesus Cristo, transmitida pela irmã Faustina, o pe. Sopocko deu início aos empenhos para expor a imagem na igreja de S. Miguel,
em Vilna, da qual ele era reitor.

Em razão disso, no dia 4 de abril de 1937, com a autorização do metropolita de Vilna,
o arcebispo Romualdo Jalbrzykowski, e após uma opinião positiva dos peritos, a imagem
de Jesus Misericordioso foi exposta na igreja de S. Miguel em Vilna, onde por cerca de onze
anos lhe devotaram a grande veneração que he cabia. Em 1941 uma outra comissão de peritos, convocada a pedido do metropolita, declarou que ”essa imagem foi executada artisticamente
e constitui um precioso patrimônio da arte religiosa contemporânea”.
(Protocolo da Comissão relacionado com a avaliação e a preservação da imagem do Salvador Misericordiosíssimo
na igreja de S. Miguel em Vilna, do dia 27 de maio de 1941, assinado pelos peritos: professor
de História da Arte Dr. M. Morelowski, professor de dogma pe. Dr. L. Puchaty e conservador
pe. Dr. P. Sledziewski). (Veja – Recordações - pe. Miguel Sopocko)

Imagem na igreja de Santo Miguel (1937-1948).

Em 1948, depois que as autoridades comunistas fecharam a igreja de S. Miguel, a imagem
(sem a moldura a a inscrição nela presente) foi comprada de forma clandestina e ilegal
de um operário lituano que estava retirando os elementos decorativos do santuário.
Essa transação foi realizada por duas mulheres (uma polonesa e uma lituana), que tinham consciência das consequências que isso lhes podia acarrretar da parte das autoridades
soviéticas. Elas retiraram da igreja a imagem enrolada e por algum tempo a esconderam
num sótão, esperando passar o tempo das eventuais ameaças.
Mais tarde elas entregaram a imagem à igreja do Espírito Santo, onde havia sido depositado também todo o patrimônio móvel da igreja que fora fechada. O pároco da igreja do Espírito
Santo, pe. João Ellert, não se mostrou intressando em ficar com a imagem. Por isso em 1949
o pe. José Grasewicz, amigo do pe. Sopocko, que durante o tempo todo se mostrou preocupado com o destino da imagem, levou-a até a paróquia de Nowa Ruda, onde, apesar das muitas mudanças na administração da igreja, ela permaneceu por cerca de quarenta anos.

A imagem na igreja de Nowa Ruda, na atual Bielo-Rússia (1949-1986).

Em 1970, as autoridades de Nowa Ruda decidiram transformar a igreja num depósito.
Naquela época o pe. Sopocko se encontrava na Polônia e já não tinha nenhuma possibilidade
de voltar a Vilna. Mas, visto que durante o tempo todo não deixou de intressar-se pela imagem, pediu ao pe. Grasewicz que a transferisse para um lugar mais seguro. A proposta confidencial
do pe. Sopocko no sentido de que a imagem fosse exposta na galeria de Ostra Brama (Ausros Vartai) em Vilna (Lituânia), onde havia sido exposta pela primeira vez para o culto público,
foi transmitida somente em 1982 (já após a morte do pe. Sopocko). O então vigário de Ostra Brama, pe. Tadeusz Kondrusiewicz, achou essa ideia infundada e propôs que a imagem fosse exposta na igreja do Espírito Santo, onde era pároco o pe. Alexandre Kaszkiewicz, o qual,
embora inicialmente a contragosto, finalmente concordou com a exposição da imagem.
Dessa forma o pe. Grasewicz tomou a decisão de trazer a imagem novamente a Vilna.

Diante disso, a fim de não provocar uma situação perigosa, numa noite de novembro de 1986,
sem o conhecimento dos habitantes de Nowa Ruda, na igreja local, no lugar da imagem
original foi exposta uma cópia previamente elaborada. Com a ajuda de irmãs religiosas
de N. S. da Misericórdia (de Ostra Brama), cientes do que estava ocorrendo, a imagem retirada
da moldura de madeira foi enrolada e naquela mesma noite levada a Grodno, e mais tarde
à igreja do Espírito Santo em Vilna.

Por ordem do pe. Kaszkiewicz, antes de ser exposta no altar a imagem danificada passou
por uma repintura. Essa intervenção modificou sensivelmente a aparência da face de Jesus Cristo, pelo que foi deformada a mensagem visual da imagem. Na imagem foi pintada em cor vermelha
a legenda JESUS, EU CONFIO EM VÓS. Além disso, para adaptar a imagem ao nicho do altar,
foi enrolada a sua borda inferior e na parte superior foi colado um remate oval adicional.

Essas mudanças não estavam de acordo com a composição artística primitiva da imagem elaborada em 1934 por E. Kazimirowski com a coparticipação de Irmã Faustina e do pe. Sopocko. Foi uma ingerência brutal que diminuiu sensivelmente o valor original da obra.


A imagem na igreja do Espírito Santo em Vilna (1987-2005), antes e após a restauração.

A imagem renovada após a restauração em 2003, numa nova moldura e com a inscrição JESUS, EU CONFIO EM VÓS, permaneceu na igreja do Espírito Santo até setembro de 2005.



Na festa da Divina Misericórdia, 18 de abril de 2004, o metropolita de Vilna cardeal Audrys
Juozas Backis fez a nova consagração da igreja reformada da Santíssima Trindade, em Vilna, como Santuário da Divina Misericórdia. Ao mesmo tempo atribuiu à Congregação das Irmãs
de Jesus Misericordioso o ministério da oração nesse Santuário (Veja Congregação).
Em setembro de 2005, a esse Santuário foi transferida a primeira imagem de Jesus Misericordioso.

SANTUÁRIO DA MISERICÓRDIA DIVINA
Vilnius, Lituânia, Rua Dominikonu 12

Para a sede da Congregação, o metropolita destinou a casa na qual foi pintada a primeira
imagem de Jesus Misericordioso. Graças à liberalidade dos benfeitores, essa casa foi adaptada
às necessidades do funcionamento dessa Congregação religiosa.

Casa na qual foi pintada a primeira imagem de Jesus Misericordioso.
Atualmente CASA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE JESUS MISERICORDIOSO
Vilnius, Lituânia, Rua Rasu, 6.




A primeira imagem de Jesus Misericordioso, exposta a partir de 1987 na igreja do Espírito
Santo em Vilna, não despertou especial interesse, tanto dos peregrinos como das autoridades eclesiásticas. A falta de condições adequadas da exposição da imagem contribuiu para novas mudanças desfavoráveis em sua matéria.
Somente a partir de julho de 2001, com o consentimento do pe. Miroslau Grabowski, pároco
da igreja do Espírito Santo, a Congregação das Irmãs de Jesus Misericordioso pôde abrir um novo núcleo em Vilna, aceito pela cúria local, e envolver com a sua proteção essa singular e valiosa imagem. Há algumas dezenas de anos, essa Congregação se empenha pela propagação
da primeira imagem de Jesus Misericordioso,
daquela que surgiu na atmosfera do milagre divino
– da oração e do sofrimento de Irmã Faustina, da sua presença e coparticipação.
Graças aos empenhos e à dedicação das irmãs, em abril de 2003 foi feita uma restauração geral da imagem, que se realizou na casa religiosa das Irmãs em Vilna. Da imagem foram retirados todos os acréscimos pintados, foram consertadas as partes danificadas e removidas as manchas que haviam surgido em consequência de umidade e de tentativas de removê-las com produtos químicos. Em consequência da restauração realizada, devolveu-se à imagem o seu aspecto primitivo.

Algumas deformações da tela não puderam ser removidas sem a utilização de cola. Trata-se
de vestígios das várias retiradas da imagem da sua moldura de madeira (orifícios provenientes
dos pregos que fixavam a imagem) e dos cerca de quatro centímetros enrolados da borda
inferior (em 1987 a imagem havia sido adaptada ao nicho do altar na igreja do Espírito Santo). Essas perdas, embora invisíveis na apresentação da imagem, constituem no entanto um traço seu singular e caraterístico.

(Orifícios deixados pelos pregos e dobras da imagem)



Por iniciativa dos organizadores e benfeitores da restauração da imagem realizada em 2003
(Veja Cópia do contrato) – da Fundação dos Apóstolos de Jesus Misericordioso em Lodz (Polônia)
– em março de 2004 foi instituída na igreja do Espírito Santo em Vilna uma sessão fotográfica profissional da imagem. Desde então, a partir dos eslaides feitos e, posteriormente as fotocópias da primitiva imagem de Jesus Misericordioso estão sendo divulgadas e fornecidas para
a evangelização geral (Veja Imagem para impressão poligráfica).



”Por meio dessa Imagem concederei muitas graças às almas;
que toda alma tenha, por isso, acesso a ela” (Diário, 570).



DOCUMENTAÇÃO
FOTOGRÁFICA DA CONSERVAÇÃO
DA IMAGEM

Detalhe antes da restauração

Durante o processo de descascamento

Após a remoção do descascamento

Após a restauração


Detalhe antes da restauração

Após a remoção do descascamento


Após a restauração

Remoção do descascamento

As fotos provêm do arquivo da documentação restauradora de 2003.

Apesar de ter sido realizada uma restauração geral da imagem, o estado do seu material ficou sensivelmente enfraquecido, razão pela qual ela deve ser exposta em condições adequadas,
de acordo com as recomendações dos técnicos. A restauração da imagem foi realizada pela Sra. Edite Hankowski-Czerwinski, de Wloclawek (Polônia)
e-mail: edycja@autograf.pl , retauradora
de obras de arte, formada pela Faculdade de Belas Artes da Universidade Nicolau Copérnico
de Torun (Polônia).

No dia 3 de agosto de 2009, no Santuário da Misericórdia Divina em Vilna, a restauradora
Edite Hankowski-Czerwinski realizou o controle periódico do estado da conservação da imagem. Ela definiu o estado da imagem como bom, não exigindo intervenção restauradora.


fonte:http://jesus-misericordioso.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário